Johnny Hooker | Coração

1/6

Pouco mais de dois anos após tomar a música brasileira de assalto com seu álbum de estreia “Eu Vou Fazer Uma Macumba pra Te Amarrar, Maldito!” (#1 nas paradas do Deezer, Spotify e Itunes), Johnny Hooker lança seu segundo trabalho de inéditas. “Coração”, com 11 faixas produzidas por Leo D, músico e produtor pernambucano responsável por trabalhos como o “Nada de Novo”, da banda Mombojó e vários trabalhos da icônica Mundo Livre S.A.

 

“Olha eu aqui de novo / Viver, Morrer, Renascer / Firme e forte feito um touro”, canta na abertura do disco um Johnny Hooker que ressurge depois de uma fase que trouxe notoriedade em escala nacional e internacional, o Prêmio da Música Brasileira de “Melhor Cantor” e uma extensa turnê que angariou mais de 250 mil espectadores. 

 

“Coração” propõe um passeio turbinado por diferentes estilos da música popular brasileira, assim como em sua obra de estreia, porém as temáticas desta vez são expandidas. Johnny discorre aqui sobre abandono, relacionamentos abusivos, sua batalha de anos contra a depressão, resistência política e afetiva e um olhar doloroso sobre a morte, como em “Poeira de Estrelas”, uma faixa dedicada ao que talvez seja seu maior ídolo e influência, o músico britânico David Bowie. Outro artista-influência é homenageado na tropical “Caetano Veloso”, uma canção sobre sonhar com a Bahia e que transforma Caetano em um adjetivo que define uma espécie de afetividade nordestina. 

 

 

A TURNÊ 

 

O show de lançamento de "Coração" estreou em 06 de Agosto de 2017 em Recife, no Parque Dona Lindu, num show gratuito que reuniu quase 10 mil pessoas.

Depois dessa estreia, a turnê realizou mais de 45 shows, alcançando o impressionante número de 80 mil espectadores pelas capitais por onde passou, incluindo o Palco Sunset Rock in Rio 2017

Seu segundo disco “Coração” trouxe faixas de grande sucesso como: Flutua (com Liniker), Corpo Fechado (com Gaby Amarantos), Caetano Veloso, entre outros hits que fizeram desse show um dos mais aclamados da nova MPB.

Recife

Rio de Janeiro

São Paulo

Campinas

Brasília

Goiânia

Belo Horizonte

Curitiba

Porto Alegre

Salvador

Foram algumas das capitais visitadas durante a turnê, muitas delas mais de uma vez.

 

Johnny Hooker é “uma mulher em fúria no corpo de um homem com os olhos marejados de lágrimas”, é assim que se define o cantor e compositor pernambucano vencedor do Prêmio da Música Brasileira de Melhor Cantor e que tomou o mercado musical de surpresa com o seu primeiro álbum solo “Eu Vou Fazer uma Macumba pra te Amarrar, Maldito!”, eleito pela revista Rolling Stone, ¬ a maior publicação do gênero no país, ¬ como um dos melhores discos do ano. Vindo no contra¬-ataque da música pop brasileira. Em "Coração" Johnny mistura samba, brega, frevo, a guitarrada e o axé numa reafirmação identitária do próprio país, fazendo uma música que é assumidamente nordestina, que desafia gênero, linguagens e que questiona a própria identidade da música brasileira, mas que ao mesmo tempo toca na novela e na rádio. As músicas de Hooker ficaram conhecidas por estampar a trilha sonora de obras audiovisuais como o premiado sucesso cult “Tatuagem”, de Hilton Lacerda e as novelas da TV Globo, “Geraçao Brasil” e “Babilonia” e da série “Justiça”.  “Coração” é um mergulho ainda mais profundo na celebração da música brasileira e latina. Se em “Eu Vou Fazer uma Macumba pra te Amarrar, Maldito!” o cantor e compositor nos sugeria um passeio por histórias de amores passionais tendo como pano de fundo o Recife e uma paleta sonora que celebrava desde o brega recifense, passando pelo blues e até o frevo, agora "Coração" toma uma guinada entre o Tropicalismo e o Blue-eyed Soul Americano. “Como se o “Cinema Transcendental” de Caetano Veloso e o “Young Americans” de David Bowie tivessem um filho no Recife”, define Johnny. 

 

A Turnê do disco já percorreu 20 capitais do país desde a sua estreia, além de realizar apresentações em Lisboa, Porto, Berlin e Barcelona. Nessa reta final da turnê, retornaremos às principais capitais brasileiras.

Temporada

Estreou em 2017

Ouça aqui

Clique aqui para

ouvir no Spotify