Portinari - a construção de uma obra

1/8

Maquetes, esboços, estudos e desenhos mostram processo criativo do renomado artista

 

 

Com curadoria de Luiz Fernando Dannemann e realização da Dannemann Entretenimento, a exposição Portinari - a construção de uma obra revela um lado pouco conhecido do artista. Cerca de 60 estudos do pintor, desenhista e muralista Candido Portinari (1903 a 1962) são expostos num espaço cenográfico especial, que conta com 11 esculturas produzidas pelo artista plástico Sergio Campos, inspiradas em personagens portinarianos. A exposição realizou temporada nas unidades da Caixa Cultural das cidades de Recife e Salvador, em 2015/2016.

 

Será apresentado ao público um Portinari em pleno processo criativo, em fase de experimento de seus traços tão repletos de força e vida, como no caso dos estudos para o painel Guerra e Paz, produzido entre 1952 e 1956 e considerado um dos mais importantes trabalhos realizados por ele. Além de estudos, há também telas à oleo, maquetes, esboços e desenhos que revelam a alma e a construção da obra de um dos maiores artistas plásticos do país. Para o curador da mostra, Luiz Fernando Dannemann, cada esboço é como um trabalho concluído. “São pedaços preciosos de um artista singular, de quem buscou originalidade na própria poesia do homem”, reflete. 

 

Candido Portinari está vivo em cada traço de grafite que buscou desenhar sobre as mais diversas superfícies nas quais tão bem registrou o povo sofrido, a miséria, mas também a alegria do futebol, dos jogos, brincadeiras infantis, e do ser humano em situações de ternura, solidariedade e paz. “Portinari certamente gostaria de ser visto pelo seu público como um fiel operário da arte, a reconstruir Pixinguinha; os colecionadores de pássaros; os espantalhos; os chutadores de bola; os homens negros; as mulheres das colheitas; as crianças no sobe e desce das gangorras; as famílias que se retiravam dos sertões”, resume Dannemann.

 

Candido Portinari – Nascido em 30 de dezembro de 1903, no interior de São Paulo, na cidade Brodowski, filho de imigrantes italianos, teve uma infância humilde. Recebeu apenas a instrução primária. Desde criança manifestou sua vocação artística, começando a pintar aos 9 anos. E - do cafezal às Nações Unidas – se torna um dos maiores pintores do seu tempo. Em sua trajetória, estudou na Escola de Belas-Artes (RJ), visitou países, entre eles a França e a Itália, onde concluiu os estudos. Em 1935 recebeu uma premiação em Nova Iorque um prêmio por sua obra “Café”, que o projetou para o mundo. Faleceu em 1962, tendo como causa aparente uma intoxicação causada por química presente nas tintas. 

Sergio Campos - Desenhista, pintor e escultor, é formado pela Escola de Belas Artes da UFMG. Criou técnica para construção de esculturas em aço e cobre e executou monumentos públicos de grande porte. Estudou pintura mural e escultura em bronze com o italiano Franco Cerri. Seus desenhos, desde os primeiros, tem uma alta tensão de músculos retesados, de veias saltando, um quê de flerte os personagens de Portinari.

Ficha Técnica

 

Concepção e Curadoria

Luiz Fernando Dannemann

 

Direção Geral 

Victoria Dannemann

 

Coordenação de Produção 

Luiz Prado

 

Cenografia e Design de Luz 

Adriana Milhomem – Luz em Formas

 

Fotografo 

Mario Grisolli

 

Design Gráfico

Bruno Masello

 

Coordenação Administrativa 

Patrícia Ferreira

 

Realização 

Dannemann Produções

Temporadas​

Caixa Cultural Recife

16 Dezembro 2015 a 31 Janeiro 2016

 

Caixa Cultural Salvador

16 Dezembro 2015 a 31 Janeiro 2016

 

Caixa Cultural Curitiba

17 Janeiro a 18 Março 2018

 

Caixa Cultural Rio de Janeiro

03 Maio a 01 Julho 2018

 

SESI Campinas

23 de março a 18 de maio  2019

SESI São José dos Campos

 25 de maio a 27 de julho 2019

SESI São José do Rio Preto

3 de agosto a 28 de setembro  2019

SESI Itapetininga

5 de outubro a 7 de dezembro 2019

 

Caixa Cultural Fortaleza

15 Dezembro 2019 a 02 Fevereiro 2020

Clipping

Confira aqui o que foi notícia sobre este evento.